Selecione a página

Impactos dos Custos no setor da Saúde

Impactos dos Custos no setor da Saúde

Quais os benefícios quando bem administrados?

Não é nenhuma novidade que no setor de saúde, a principal preocupação é a segurança e o cuidado com seus pacientes. Para que isso ocorra de maneira adequada, é natural que, as organizações deste setor, necessitem de uma maior quantidade de insumos, quando comparadas com empresas de outros setores, pois, é inadmissível a falta de insumos para a prestação dos serviços hospitalares ao paciente. Contudo, insumos são caros, representando uma boa parte dos custos de um hospital ou clínica.

Outro fator de grande impacto no resultado de uma organização é, a definição de preços sobre os serviços prestados, com base “apenas” na sua experiência e no valor praticado pela concorrência, os quais muitas vezes, não condizem com a realidade dos gastos da empresa em particular, pois, seu concorrente pode, por exemplo, ter uma estratégia interna que permite atribuir preços menores que os seus, afetando assim, o resultado financeiro da sua clínica ou hospital, consequentemente dificultando seu crescimento, uma vez que, seu fluxo de caixa estará debilitado, pois, haverá um desequilíbrio entre os investimentos e o preço final de seus procedimentos.

Em um macro contexto, a má administração do dinheiro de uma organização, resulta na maioria das vezes, a sua falência por falta de visibilidade de seu fluxo de caixa. De acordo com dados do relatório “Cenário dos Hospitais no Brasil 2020”, realizado pela Federação Brasileira de Hospitais (FBH), em parceria com a Confederação Nacional de Saúde (CNS), nos últimos 10 anos, mais de 2,4 mil hospitais privados fecharam as portas, no Brasil. Entre as instituições fechadas e as que surgiram neste período, mais de 40 mil leitos foram extintos. 

Quando não há um sistema de gestão de custos eficiente, é muito comum acontecerem erros nos processos administrativos, entre os principais erros destacam-se: 

A inexistência do controle de estoques: sem um bom controle de estoque, não há como saber a real necessidade de compra de insumos para atender a demanda, é aonde então, ocorre a sua falta, sendo necessário realizar aquisições em caráter de emergência, resultando desta forma na onerosidade da compra, pois não houve o tempo hábil para uma boa negociação. O inverso também pode acontecer, ou seja, há insumos demasiado no estoque, a qual, também é prejudicial ao negócio, uma vez impacta diretamente nos custos em relação ao seu período de aquisição e, nos prazos de validade da mercadoria, é o caso por exemplo dos medicamentos.

Não fazer o controle do fluxo de caixa corretamente: a falta de controle das entradas e saídas do caixa, podem acarretar uma série de situações prejudiciais a saúde financeira da empresa, não permitindo as corretas tomadas de decisões estratégicas. Um ponto negativo em evidencia, é não saber de fato o que está entrando e ou, saindo de seus recursos financeiros. Outras consequências desfavoráveis que também merecem serem consideradas, neste caso é, a possibilidade de um endividamento e até mesmo o rompimento de parcerias com alguns fornecedores, devido à falta de pagamentos. Já imaginou o quanto isso pode ser prejudicial para seu hospital ou clínica? Por isso, a gestão financeira é essencial em todas as organizações, independente do setor em que atua.

Não conhecer os custos da empresa: é uma falha comum na maioria das organizações. No entanto, é de extrema importância conhecer os custos da sua empresa, sendo eles, fixos e variáveis. Você já se perguntou qual o impacto de um determinado custo na sua operação? Será que não há maneiras de reduzi-lo, gerando assim, maior lucratividade para o negócio?

A finalidade do controle de custos é fornecer informações que contribuirão na lucratividade da empresa alinhado ao seu planejamento estratégico, más para isso é necessário que a empresa faça uma análise rigorosa em todos os seus setores, uma vez que, seu controle não está ligado apenas na execução dos procedimentos hospitalares e clínicos, más sim, na empresa como um todo.

Neste sentido, é que, sistemas de gestão empresarial que alinham o gerenciamento dos custos e dos estoques junto a área financeira, tem ganhado força e, se tornado fortes aliados para o desenvolvimento e crescimento das organizações deste setor, para isso, as organizações estão cada vez mais preocupadas em aderir uma gestão responsável e eficiente através da contratação de profissionais capacitados para o devido gerenciamento de seus recursos, caso contrário a má gestão pode causar graves prejuízos à organização.

Por isso, entender os benefícios da gestão de custos é muito importante para que, se tenha o conhecimento do equilíbrio entre as entradas e saídas dos recursos. Entre os diversos benefícios destacam-se:

Redução dos riscos: quando se tem o conhecimento de todos os custos que uma empresa demanda ou irá demandar, é possível se preparar às incertezas do mercado, um exemplo prático disso, foi a questão da pandemia, a qual, pegou diversos empreendimentos de “surpresa”, pois muitos não tinham um planejamento estratégico frente a um cenário de crise, então, tiveram que arcar com certos prejuízos inesperados.

Maior produtividade: entender a situação financeira e lógica de investimentos e custos lhe dá total controle sobre a produtividade da sua clínica ou hospital, tendo condições de enxergar quando e quanto deve gastar, o que precisa melhorar no processo e, o que deve ser cortado, otimizando assim, a produtividade em prol dos objetivos do negócio.

Aumento da lucratividade: após controlar a produtividade do negócio, reduzindo os gastos desnecessários, a margem do negócio sofrerá um impacto positivo, elevando assim a sua lucratividade.

Vantagem competitiva: ao realizar a gestão de custos com eficiência, é possível criar estratégias com mais assertividade. Seus serviços acabarão se destacando e consequentemente você e sua clínica ou, hospital se tornarão referência no mercado.

Aumento da qualidade dos serviços prestados: ao entender seus custos e ganhos, você também passa a compreender aspectos importantes sobre suas vendas, ou seja, quais procedimentos possuem maiores demandas. Desta forma, é possível, alinhar as estratégias para reduzir os custos com procedimentos que são menos procurados, agregando maior valor e tempo nos mais procurados pelos pacientes.

Por fim, obter o real conhecimento no que os recursos financeiros estão sendo gastos, são informações de extrema relevância para a alta performance de toda organização e no setor da saúde, não é diferente. Sem um rigoroso controle e acompanhamento constante de uma gestão empresarial, é quase que, impossível atingir a sua eficiência e lucratividade tão desejada.

CATHIA PETRANSKI CORRÊA

CATHIA PETRANSKI CORRÊA: empresária, com formação em Administração. É Mestre em Administração Profissional pela Unioeste e Especialista em Finanças e Eficiência Empresarial pela FIA/USP. Atua como treinadora e consultora empresarial, nas áreas estratégica, financeira e organizacional para empreendimentos da área da saúde.

Saiba mais em:  www.salusassessoriaempresarial.com.br.

EDIÇÃO ANTERIOR

Posts recentes