Selecione a página

Os pequenos na microfisioterapia

As doenças e transtornos que têm origem nas emoções e traumas, vividos ao longo da vida, não são exclusividades dos adultos. Crianças também sofrem com os acontecimentos pelos quais passam – por vezes até desde o ventre materno.

Esses traumas podem se refletir em alergias, insônia, irritabilidade, dificuldade de aprendizado e até depressão. Há estudos que mostram, se uma pessoa não tratar uma ferida grave, de um passado remoto, tem menos chances de se recuperar de uma depressão, por exemplo.

Tendo origem emocional, os medicamentos e tratamentos convencionais conseguem atuar no alívio dos sintomas, mas não atingem o resultado esperado de cura. Quando isso acontece, há tratamentos alternativos que podem se somar ao tradicional em busca do bem-estar infantil, atuando na causa primária da doença em questão.

A Microfisioterapia é uma das técnicas. Por meio de leves toques sobre a pele, o fisioterapeuta habilitado identifica os locais onde as células foram afetadas no corpo e passaram a provocar sintomas. O local é também um indicativo do tipo de trauma sofrido e quando ele ocorreu, ajudando a criança a superar o problema e voltar a ter um organismo saudável, que funciona como uma máquina bem regulada.

Foi desenvolvida, em 1983, na França, pelos osteopatas Daniel Grosjean e Patrice Benini. Seu embasamento teórico iniciou-se pelos estudos da embriologia, filogênese e ontogênese.

A Microfisioterapia usa as células do nosso corpo como um mapa que indica onde há deficiências. Não há contraindicações e o procedimento não é invasivo, sendo bem aceito entre os pequenos.

E o resultado
O resultado é o caminho da cura, bem guiado pelo mapa que carregamos em nosso próprio corpo.

Quando somos traumatizados emocionalmente, em qualquer período da vida, o subconsciente nunca esquece. Assim, não recordamos, conscientemente, do trauma, mas sempre fica aquela pedrinha pequenininha incomodando no sapato.

Indicações
A técnica é indicada para vários sintomas, como dores físicas, traumas emocionais, medos e fobias, distúrbios de sono, ansiedade, enxaquecas, agressividade, entre outras, até mesmo para prevenção de doenças. São indicadas em todas as idades, desde recém-nascidos até idosos.

EDIÇÃO ANTERIOR

Posts recentes